Brasil destaca sua importância em encontro científico de medicina homeopática

“Eneida Janiscki Da Lozzo e Dorly Buchi apresentaram estudo sobre o papel dos imunomoduladores homeopáticos para aumentar a imunidade de pacientes com câncer para pesquisadores de mais de 38 países

Introdução

A

pesquisadora Eneida Janiscki Da Lozzo, proprietária da farmácia Homeoterápica, de Curitiba (PR), esteve em Londres, entre os dias 14 e 16 de junho representando o Brasil juntamente com outros pesquisadores brasileiros na 4ª Conferência Internacional de Pesquisa do Instituto de Pesquisa Homeopática. O evento contou com 352 participantes de 38 países e foi considerada a conferência de maior abrangência internacional promovida pelo HRI (Homeopathy Research Institute) e pelo alto nível do programa científico apresentado.

Com o tema Pesquisas Inovadoras em Homeopatia, o congresso abriu espaço para a apresentação de 35 palestras e 50 posters sobre pesquisas homeopáticas realizadas em todo o mundo. “Foi uma oportunidade única de troca de conhecimento científico sobre homeopatia, criação de novas parcerias e de sistematização dos conhecimentos necessários para que, em um futuro próximo, consiga-se definir os mecanismos de ação dos medicamentos homeopáticos”, ressaltou Eneida.

Na ocasião, de acordo com a pesquisadora, o congresso deu espaço para discutir as prioridades para as pesquisas clínicas em homeopatia. “Além de questões sobre as investigações físico-químicas das preparações homeopáticas e sobre os protocolos de pesquisas homeopáticas realizadas em áreas como meio ambiente, agronomia, veterinária e no tratamento de várias doenças crônicas e infecciosas”, ressaltou.

Contribuição brasileira

Eneida, juntamente com a pesquisadora Dorly Buchi (UFRJ) apresentaram o trabalho Imunoterapia homeopática contra o câncer, que trouxe os resultados das pesquisas científicas realizadas com os imunomoduladores homeopáticos nos últimos 20 anos, traçando um paralelo com a visão atual da imunoterapia do câncer. “O trabalho foi muito bem recebido pelos participantes devido à qualidade e ao grande número de publicações científicas que já existe com essas formulações. Contudo, observamos que há uma grande expectativa sobre estudos clínicos com estes medicamentos”, enfatizou.

O que falta, na visão de Eneida, é mais subsídios no Brasil para pesquisas com foco em homeopatia. “Mesmo assim, o número de pesquisadores brasileiros e, principalmente, a qualidade de seus trabalhos científicos com homeopatia foram muito relevantes nesse congresso”, avaliou.

Após o evento, Eneida e Dorly receberam o convite de uma editora estrangeira para fazer a publicação de um livro sobre os imunomoduladores homeopáticos. “Já estamos em fase de negociações”, comemorou.

No congresso, marcaram presença um número expressivo de pesquisadores que atuam na área de homeopatia com estudos nos setores de veterinária, agronomia, odontologia, saúde pública, biologia celular, entre outros. Nomes como Dra. Leoni Bonamim (UNIP-SP), Dra. Cidéli Coelho (UNISA-SP), Dra. Carla Holandino (UFRJ), Dra. Leila Cristina Mourão (UFRJ) e Dr. Domingos José Vaz do Cabo (Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro) foram alguns dos presentes.

encontro científico de medicina homeopática

Trabalho relevante

Na área de pesquisa clínica utilizando a homeopatia como adjuvante de tratamento, o principal destaque durante o congresso de Londres foram os trabalhos apresentados pelo Dr. Yakov Freed, médico do Instituto de Oncologia de Israel (Sheba Medical Center). “Neste instituto há um serviço de cuidado homeopático para pacientes com câncer, o que possibilita os estudos clínicos”, destacou Eneida.

Deixe um comentário