Imunomoduladores homeopáticos

E

mbora ainda não sejam amplamente divulgados em território brasileiro, uma classe de medicamentos tem se destacado em razão de sua eficiência. São os chamados Imunomoduladores Homeopáticos, que atuam de modo natural no estabelecimento do sistema imunológico de pessoas e animais. Em uma entrevista realizada pelo veterinário, Dr. Marcos Fernandes, a Dra. Eneida Janiscki da Lozzo, pesquisadora e proprietária da Farmácia Homeoterápica respondeu as principais dívidas sobre tal imunoterapia. Confira:

Entrevista com a pesquisadora Dra Eneida Janiscki Da Lozzo - Radio Mundial

Dr. Marcos: Doutora Eneida, tem vários assuntos que eu gostaria de abordar com você e são assuntos muito importantes, relacionados aos animais de estimação. A Farmácia Homeoterápica tem um diferencial, ela produz um medicamento que eu já uso há mais de doze anos, eles são classificados como tipos de Imunomodulador Homeopático. Queria que você falasse um pouco deles.

Dra. Eneida: As modalidades de Imunomodulador Homeopático são formulações homeopáticas complexas compostas por mais de dez componentes cada formulação e há mais de vinte anos foram submetidas a pesquisas científicas dentro da Universidade Federal do Paraná. Lá usou-se muito como modelos animais com tumores, células do sistema imunológico e a interação sistema imunológico – câncer. Aliás, esse tema foi prêmio Nobel no ano passado. Na verdade, esse trabalho de pesquisa com homeopatia e câncer foi pioneiro, começou com a Dra. Dorly na Universidade Federal do Paraná e foi muito inovador no sentido de mostrar como uma homeopatia pode auxiliar o sistema imunológico no combate às células tumorais. Essa questão inovadora tem trazido benefícios para pacientes humanos e na clínica veterinária.

Dr. Marcos: Esse medicamento pode ser usado na espécie humana e em animais?

Dra. Eneida: Sim. Por ser homeopático, é altamente diluído, um produto que não tem toxicidade. Ele pode ser usado como uma terapia complementar ou integrativa. Ele suporta bem os pacientes que se submetem à radioterapia e quimioterapia. Fortalece o organismo para enfrentar essas terapias que são agressivas, tanto aos tumores quanto para as células sadias. Esses organismos têm mais disposição para enfrentarem a doença e o tratamento, que também é agressivo. Isso é muito evidente tanto em tratamento de humanos, quanto de animais.

Dr. Marcos: É importante essa ideia de que não precisa escolher entre uma terapia e outra. Pode-se fazer junto com a terapia convencional?

Dra. Eneida: Sim, deve-se fazer. Existe um reconhecimento e uma solidificação dessas terapias convencionais, no sentido de que são realmente eficazes, mas a integração de uma terapia natural que ajude nisso tudo não tem por que não fazê-la.

Dr. Marcos: Além da atuação do medicamento que reagirá contra a doença, também ocorre uma diminuição dos efeitos colaterais?

Dra. Eneida: Em humanos, por exemplo, a imunoterapia traz diminuição da queda de cabelos, aumento do apetite, diminuição das citocinas inflamatórias, que permite com que a pessoa se alimente melhor, diminui a caquexia, que é aquela magreza, o consumo do próprio organismo em tentar debelar essa doença. Existe um fortalecimento do organismo e uma disposição das células do sistema imunológico em combater essas células tumorais.

Dr. Marcos: Utilizando esse produto da Farmácia Homeoterápica já tive resultados impressionantes. Alguns tumores em gatos, os protocolos quimioterápicos são completamente nulos em relação a resultados e benefícios que a imunoterapia pode trazer aos animais. Então, usava os imunomoduladores quase que exclusivamente e em alguns tumores de pássaros também. Vi um aumento de sobrevida sem perder a qualidade de vida.

Dra. Eneida: Conversei com uma veterinária que me contou sobre o seu cãozinho, que estava desenganado há 2 meses, com o tumor no pulmão que apresentava. Com imunomodulação homeopática ela conseguiu fazer com que em meses esse tumor fosse operável, já que não o era. Depois disso, ela está com o cãozinho vivendo há 2 anos. Com prognóstico de 2 meses, ele passou a viver 2 anos. E ela falou que nunca mais deixará de dar este medicamento.

Por atuar no sistema imunológico, trata-se de uma imunoterapia e pode ser usado como preventivo de recidivas e para metástases, para esse organismo ter um final de vida com qualidade. Essa que é a questão. Tem tipos de tumores em que o estágio fará com que o animal sucumba diante dele, mas o medicamento faz com que se tenha qualidade e um final de vida digno.

Dr. Marcos: Quais outras doenças em que são indicados os Imunomoduladores?

Dra. Eneida: As doenças infecciosas de um modo geral, tanto as viroses, quanto as bacterianas, herpes, HIV, tem resultados muito interessantes porque o sistema imunológico está diretamente envolvido no combate a esses agentes agressores, havendo uma melhora do quadro. Em cicatrizações, onde os macrófagos estão envolvidos no reparo de tecidos, é muito interessante. Em situações pré-operatórias e pós-operatórias a recuperação é mais rápida. Em doenças degenerativas inflamatórias, como as artroses, haverá uma diminuição dessa inflamação e das dores. A pessoa pode continuar fazendo uso de antibióticos, antinflamatórios. Essa pessoa ou animal terá uma condição melhor de saúde.

Dr. Marcos: As doenças citadas são as que mais ocorrem, até porque o animal está vivendo mais. Aí vem essas doenças crônico-degenerativas, os casos de artrose, os casos oncológicos, as doenças infectocontagiosas, as infecciosas, os processos cirúrgicos. Então, a gama de utilização do imunomodulador homeopático é muito grande.

Dra. Eneida: Eu acho que é um arsenal terapêutico importante para os veterinários.

Dr. Marcos: O clínico alopata pode prescrever esse tipo de medicamento?

Dra. Eneida: Sim, como ela é uma formulação pronta e tem uma finalidade específica, desde que o veterinário tenha essa prescrição, a Farmácia Homeopática poderá manipular. Não necessariamente precisa ter a especialidade homeopata para prescrever essa medicação.

Dr. Marcos: O receituário é livre?

Dra. Eneida: Sim, é livre.

Dr. Marcos: Eu me lembro de utilizar esse medicamento em doenças autoimunes. Os gatos têm uma doença periodontal autoimune que destrói toda a mucosa da cavidade oral desses pacientes. E eu, prescrevendo os tipos de imunomodulador homeopático tive respostas impressionantes. Depois que os conheci, em poucos casos tive a necessidade de entrar com corticóides para diminuir essa ação antinflamatória que tinha na mucosa.

Dra. Eneida: Dentro das pesquisas básicas tem uma das formulações que é chamada de pesquisa 2 porque, quando foram para o laboratório pesquisar esses medicamentos, foram preparadas 16 fórmulas. E dessas, três estão hoje veiculando com um potencial terapêutico, que são as de número 1, 2 e 8. O medicamento 2 mostrou essa ação para o problema autoimune, porque ajuda as células, a imunidade inata, então o organismo continua forte para combater, mas ele diminui os anticorpos, o que é um problema na doença autoimune. Com essa diminuição de anticorpos e o aumento da defesa celular, existe a possibilidade de ter o sistema imune ativo, mas sem as complicações da doença autoimune, sem ter os anticorpos produzidos de maneira exacerbada. Essa situação precisa ser mais estudada, mas na prática clínica é o que se vê.

Dr. Marcos: Em todo caso de doença autoimune prescrevo esse medicamento e na grande maioria dos casos tenho uma resposta muito satisfatória. Não há um processo de cura, porque essa é a grande característica da doença crônica: ela é incurável, mas o fato é que se dá qualidade de vida ao paciente. Dra. Eneida, os medicamentos utilizados na pesquisa foram fabricados na Farmácia Homeoterápica de Curitiba?

Dra. Eneida: O medicamento era produzido na farmácia de Curitiba e era destinado às pesquisas. Com isso, se criou um padrão, uma padronização, principalmente em relação à qualidade desse produto.

Conclusão

Com pesquisas cada vez mais sólidas sobre os Imunomoduladores Homeopáticos, o que se espera é que esse tipo de medicamento passe a ser empregado em maior escala, tanto pela medicina humana, quanto por aquela voltada aos animais.

Desse modo, o Dr. Marcos Fernandes pôde expor a importância dessa modalidade de medicamento, ou seja, o Imunomodulador Homeopático ao entrevistar a Dr. Eneida, que atua na Farmácia Homeoterápica, possuindo larga experiência na pesquisa sobre imunoterapia e acerca de temas relacionados ao assunto abordado.

Deixe um comentário