A

incidência de obesidade tem aumentado incrivelmente e tornou-se um grande problema de saúde em todo o mundo. A obesidade é o principal fator de risco para dislipidemia, doenças cardiovasculares, carcinogênese e diabetes tipo 2. O desequilíbrio energético é a principal causa da obesidade, e o excesso de energia faz com que as células pré-adipócitas se tornem adipócitos (hiperplasia) e triacilgliceróis (TG) se acumulem nos adipócitos maduros (hipertrofia). Fazer dieta juntamente com o aumento da atividade física parece um método fácil para controlar a obesidade mas, na prática, não é tão simples assim. Atividade física, modificação da dieta, medicamentos e cirurgia são estratégias comuns para diminuir a incidência de obesidade. Os medicamentos para tratamento da obesidade, como o Orlistate e o Lorcaserin possuem efeitos colaterais e uma baixa taxa de eficiênciao que faz com que os consumidores e a indústria farmacêutica busquem soluções alternativas a partir de compostos naturais.

Desde os tempos antigos, ervas têm sido usadas para muitas doenças e ainda são a base de um sistema de Medicina Tradicional em diferentes culturas. Substâncias bioativas naturais derivadas de plantas podem ter diferentes benefícios biológicos em diferentes sistemas corporais. Além disso, compostos naturais são considerados seguros e aceitáveis ​​para o paciente em comparação com terapêutica sintética.Muitas pesquisas científicas têm se concentrado no estudo dos fitoquímicos para auxiliar nos tratamentos da obesidade.  Os fitoquímicos da dieta podem fornecer uma abordagem terapêutica mais eficaz para o tratamento da obesidadeagindo na diminuição da formação de gorduras (adipogênese/lipogênese) ou no aumento do gasto de energia nos adipócitos (lipólise e termogênese), podem ainda auxiliar na transformação do tecido adiposo branco (armazenamento de gorduras) em tecido adiposo marrom que tem maior capacidade termogênica e assim auxiliar no processo de emagrecimento.

O metabolismo do Tecido Adiposo

O tecido adiposo contém vários tipos de células, incluindo células endoteliais, células sanguíneas, fibroblastos, pré-adipócitos, macrófagos, outras células imunológicas e adipócitos maduros. Quando os adipócitos aumentam em grande número, eles se tornam o principal tecido adiposo do tipo celular. Existem dois tipos de gordura no corpo; tecido adiposo branco e tecido adiposo marrom. O tecido adiposo branco é um órgão de armazenamento de combustível, armazena o excesso de energia como Triacilglicerol (TG) por um processo de lipogênese e usa energia excessiva para aumentar o número e tamanho de adipócitos, causando a expansão do tecido adiposo branco ​​e levando à obesidade. A característica mais predominante do tecido adiposo marrom é a termogênese, onde a energia derivada da oxidação dos ácidos graxos é generalizada pelo desacoplamento mitocondrial para manter a temperatura corporal. Portanto, o entendimento do mecanismo dos adipócitos tanto no tecido adiposo branco quanto no tecido adiposo marrom pode levar a desenvolver uma terapia alternativa para tratar a obesidade e suas complicações metabólicas.

Características da adipogênese / lipogênese

A adipogênese é um processo pelo qual os pré-adipócitos do tipo fibroblasto se diferenciam em adipócitos maduros, que contêm grandes gotículas internas de gordura para armazenamento lipídico. O processo pode ser continuado durante toda a vida. Existem vários estágios da adipogênese: precursores mesenquimais, pré-adipócitos comprometidos, pré-adipócitos bloqueados pelo crescimento, expansão clonal mitótica, diferenciação terminal e adipócitos maduros. O processo de adipogênese envolve uma série de fatores de transcrição, expressão gênica regulada por proteínas no ciclo celular e atividade gênica e enzima relacionada à lipogênese. As enzimas relacionadas ao metabolismo do triacilglicerol (TG) aumentam drasticamente durante a lipogênese pelo processo de modulação da expressão gênica.A lipogênese é um processo que envolve a síntese de ácidos graxos e triacilgliceróis e pode ser afetada pela dieta e hormônios. Por exemplo, os carboidratos estimulam a lipogênese no fígado e tecido adiposo e a concentração do hormônio de troca plasmática em jejum, afetando a lipogênese e a lipólise no tecido adiposo. Os fitoquímicos da dieta têm alguns efeitos sobre esses estágios da adipogênese e podem ajudar a tratar a obesidade.

Fitoquímicos que diminuem a formação de gorduras (adipogênese / lipogênese)

Aapigenina é um flavonóide encontrado em vegetais e frutas, a administração de apigenina, em estudos experimentais, reduziu a síntese de TG por meio da expressão diminuída proteínas envolvidas na síntese desta gordura. Outros fitoqímicos envolvidos com a diminuição da adipogênese são:

Berberina – encontrada em rizoma de Cortidis, planta da medicina tradicional chinesa

Capsaicina– ativo encontrado na pimenta vermelha

EGCG- epigalocatequina-3-galato – umflavonóidepolifenólico que é uma das catequinas presentes no Chá Verde (Camelliasinensis)

Genisteína –  uma isoflavona da soja

Resveratrol – um fitoquímico natural encontrado na uva e no vinho tinto

Oxyresveratrol-  um polifenol natural e também um análogo do resveratrol na amoreira (Morus alba L.)

Curcumina e Bisdemetoxicurcumina – são polifenóis ativos no rizoma do Açafrão da terra (Curcuma longa), o qual é um dos ingredientes do tempero alimentar “Curry”

Ácido 18β-glicirrhetínico – é um dos principais ingredientes ativos da raiz do Alcaçuz(Glycyrrhiza glabra)

Ginkgolide C-  é uma flavona isolada de folhas de Ginkgobiloba L.

Celastrol – é um triterpeno da videira Tripterygiumwilfordii (Celastraceae), que tem sido usada como medicina tradicional chinesa há séculos

Outras plantas muito estudas em seu efeito anti-adipogênico:

O Guaraná (Paullinia cupana), que contém 2,42% de flavonoides; 9,18% de fenólicos totais e 12,4% de cafeína,  modula a expressão de vários genes associados à  adipogênese, bem como um aumento da tradução nuclear de catenina, que pode contribuir para a inibição da adipogênese.

O Hibiscus (Hibiscussabdariffa) contém vários polifenóis, especialmente antocianinas, que reduzem a adipogênese, e aumentam os fatores que regulam a oxidação de ácidos graxos, possuindo um grande potencial anti-obesidade. Alguns estudos demonstraram que a administração de extrato de Hibiscusreduziu significativamente o ganho de peso corporal em camundongos obesos e aumentou a ingestão de líquidos em camundongos saudáveis e obesos.

Fitoquímicos que aumentam o gasto energético (lipólise/oxidação de ácidos graxos)

A quebra do TG nos adipócitos e a liberação de glicerol são importantes para a regulação da homeostase energética. A lipólise é uma via catabólica que ocorre principalmente no tecido adiposo para fornecer energia aos tecidos periféricos quando necessário. O processo de lipólise envolve a hidrólise de TGs, por enzimas chamadas lipases, o que resulta na liberação de AG e glicerol no sangue. Descobriu-se que várias lipases são ativas durante a hidrólise de TG. Os AG são degradados nas mitocôndrias e peroxissomos através do processo de β-oxidação. Algumas enzimas são importantes para a entrada dos ácido graxos na mitocôndria através de uma molécula de transporte chamada carnitina. Alguns fitoquímicos modulam a expressão gênica de lipases e de outras proteínas envolvidas no processo de transporte e oxidação de ácidos graxos como a Capsaicina, Curcuminae GinkgolídeoC .

Polifenóis cítricos – os polifenóis do Citrussinensis (Laranja doce), Citrusaurantium (laranja amarga), Citrusreticulata (Tangerina) causam uma redução na diferenciação de adipócitos, conteúdo lipídico na célula e apoptose adipocitária. Estudos demonstram que os polifenóis cítricos aumentam a expressão de genes envolvidos no estímulo à da β oxidação (lipólise); melhorando o perfil lipídico e a glicemia,  bem como melhoram o estado inflamatório. Vários ensaios clínicos demonstraram o efeito positivo dos flavonóides cítricos na redução de citocinas pró-inflamatórias em seres humanos, sendo benéficos para aliviar as complicações presentes na obesidade.

Fitoquímicos que auxiliam no escurecimento do tecido adiposo

Como mencionado acima, tecido adiposo branco e tecido adiposo marrom são dois principais tecidos adiposos que regulam o balanço energético. No tecido adiposo marrom, a termogênese é ativada desacoplando a proteína 1 (UCP1) através da lipólise. Mais e mais pesquisadores descobriram um tecido adiposo marrom ativo no tecido adiposo branco humano adulto, também chamado de escurecimento do tecido adiposo branco. Esse tipo de adipócito marrom é chamado adipócito marrom indutível (bege,  marrom-branco). As células bege têm algumas características, como a UCP1 sendo expressa com capacidade termogênica, alto conteúdo mitocondrial e a expressão de genes específicos de gordura marrom. Embora os adipócitos marrons e os adipócitos bege expressem UCP1, os adipócitos marrons sempre apresentam altos níveis de UCP1 e outros genes termogênicos estão sob controle basal. Nas células bege, a expressão desses genes termogênicos responde a ativadores que são fatores transcricionais importantes em células bege. Portanto, o escurecimento, que significa estimular o desenvolvimento de adipócitos bege na tecido adiposo branco, pode ser outra estratégia para combater a obesidade.

A crisina (5,7-di-hidroxiflavona) é um flavonóide encontrado em favos de mel e cogumelos aumentou os principais marcadores de tecido adiposo marrom e a expressão de proteínas no escurecimento dos adipócitos. Experimentalmente a crisina converteu adipócitos brancos em adipócitos beges.

A curcumina aumenta a oxidação da gordura em tecido adiposo marrom e aumeta a expressão de enzimas para suprimir a síntese de ácidos graxos

O timol é um ingrediente fenólico monoterpeno do óleo essencial de espécies de Tomilho. A adição de timol aumentou significativamente a expressão dos genes marcadores de gordura marrom e a expressão proteica mostrou que o timol converte adipócitos brancos em adipócitos beges.

Conclusão

Os fitoquímicos de alimentos e de ervas têm sido usados ​​como terapias naturais há muito tempo. Estudos científicos atuais demonstram os efeitos dos fitoquímicos no tecido adiposo branco, especialmente no processo de adipogênese e lipogênese, para aliviar os efeitos do excesso de energia na expansão do tecido adiposo, bem como, os efeitos dos fitoquímicosno gasto de energia e na capacidade de converter adipócitos brancos em células bege demonstrando uma ação benéfica e segura no controle da obesidade.

A inclusão de fitoquímicos na dieta, seja através da escolha de alimentos adequados ou de suplementos dietéticos na forma de cápsulas podem ajudar nos processos de emagrecimento, desde que a diminuição da ingestão calórica e aumento da atividade física também sejam realizados. A obesidade pode ter causas multifatoriais e ser a causa de inúmeras outras doenças crônicas, então o tratamento deve ser acompanhado por uma profissional de saúde.

A Homeoterápica Farmácia de Manipulação conta com uma grande rede de contato com profissionais de saúde que podem auxiliar nos processos de emagrecimento e de Farmacêuticos especializados em atenção e cuidados com a saúde, sempre disponíveis para esclarecer dúvidas e orientar com responsabilidade.

 

Yen-Chen Tunget al. Journal of food and drug analysis 25 (2017) 100 -110.

V.M. Nakajima et al. / LWT – Food Science and Technology 59 (2014) 1205-1212

Deixe um comentário