Fitoterápicos Adaptógenos

Fitoterápicos Adaptógenos são substâncias naturais que aumentam a resistência do organismo às situações de estresse físico ou psicológico. São extratos de plantas que diminuem a sensibilidade celular ao estresse. São reguladores metabólicos que aumentam a habilidade do organismo de se adaptar aos fatores ambientais e a evitar os danos causados por esses fatores.

Os fatores ambientais podem ser fisiológicos tais como injúria ou envelhecimento ou psicológicos tal como ansiedade.

Nos últimos anos as pesquisas científicas avançaram no estudo de substâncias de origem vegetal que ajudam o corpo a lidar com as situações estressantes expandindo a fase de adaptação enquanto retardam a fase de exaustão. O aumento da adaptação do organismo as situações de estresse fez surgir o termo Adaptógenos para definir essas substâncias.

A vida de todo ser humano é marcada por períodos de aumento das demandas física e psicológica. O estresse existe na vida de todo ser humano e pode não afetar a saúde desde que esteja dentro de limites controláveis. Porém, o grau de tolerância ao estresse varia grandemente de um indivíduo para outro.

Além disso, todo indivíduo está sujeito a um ciclo de vida no qual a tolerância geral ao estresse é máxima aproximadamente dos 20 aos 30 anos de idade, enquanto que aos 70 anos, a tolerância ao estresse é diminuída aproximadamente pela metade (HOFECKER, 1987).

Picos críticos de estresse facilmente superados por uma pessoa jovem saudável podem tornar-se incômodos em uma que esteja debilitada pela idade ou por uma doença. Alguns dos distúrbios secundários que podem surgir como resultado desses estresses críticos são: estômago irritável, úlcera gástrica e cólon irritável, hipertensão, depressão, ansiedade, falta de memória, síndrome da fadiga crônica, doenças cardíacas.

Alguns Fitoterápicos Adaptógenos

Fitoterápicos Adaptógenos - Ginseng (Panax Ginseng)

Ginseng (Panax Ginseng)

  • Parte usada: Raiz de Ginseng Asiática
  • Indicação: Os pós e extratos de Gginseng são feitos de raízes secas, que contém 2-3% de saponinas glicosídicas (ginsenosídeos). Entre os efeitos dos ginsenosídeos demonstrados por experimentos com animais estão: Efeitos estimulantes do SNC; efeitos protetores contra vários agentes perigosos, como radiação, infecções e toxinas; proteção contra estresses físicos e psicológicos exaustivos; efeitos no metabolismo de lipídeos e carboidratos e na biossíntese de RNA e proteína; efeitos estimulantes sob sistema imunológico; Nenhum estudo mostrou qualquer evidência de um risco toxicológico. A Monografia de 1991 da Comissão E (Agência Federal Alemã de Saúde) determina que a raiz de Ginseng seja usada “como tônico contra fraqueza e fadiga, como um restaurador imunológico e de falhas de concentração, e como um apoio na convalescença”.
  • Dosagens: dose diária recomendada é de 1-2 g de droga vegetal. Uma dose de 200-600 mg/dia é recomendada para extratos.
  • Venda sem prescrição médica.
  • Utilizar por no máximo 3 meses.

Fitoterápicos Adaptógenos - Ashwagandha - (Withania somnifera)

Ashwagandha  – (Withania somnifera)

  • Parte usada: Raiz.
  • Indicação: Famoso medicamento vegetal da medicina Ayurvedica. Um estudo clínico duplo-cego com Ashwagandha em 141 voluntários do sexo masculino, com idades de 50-59 anos foi realizado por um período de um ano. Verificou-se que o grupo tratado teve melhoras significativas na hemoglobina, melanina capilar (menos cabelos brancos) e uma diminuição no colesterol sérico (LDL) em comparação com os controles.
  • Dosagens: A dose comum diária da raiz seca em pó e de 3 a 6 g. A toxicidade em doses terapêuticas é mínima.
  • Venda sem prescrição médica.

Antioxidantes Vegetais

Produtos vegetais antioxidantes auxiliam o corpo na resistência a várias condições patológicas, especialmente aquelas associadas ao envelhecimento,  por isso são classificados como agentes protetores, um tipo de adaptógeno. São ricos em proantocianidinas, procianidinas, leucoantocianidinas e polifenóis.

As procianidinas são antioxidantes potentes removedores de radicais livres e inibidores da peroxidação de lipídeos. Protegem contra câncer e aterosclerose, doenças normalmente associadas ao processo de envelhecimento. Sem efeitos tóxicos.

 Alguns exemplos de espécies antioxidantes:

Fitoterápicos Adaptógenos - Chá Verde (Camellia sinensis)

Chá Verde (Camellia sinensis)

  • Parte usada: Folhas do arbusto.
  • Dosagens: Dose de 100-500 mg/dia. Uma típica xícara de chá verde contém entre 300 a 400 mg de polifenóis.
  • Venda sem prescrição médica.

Fitoterápicos Adaptógenos - Picnogenol (Pinus pinaster)

Picnogenol (Pinus pinaster)

  • Parte usada: Casca de pinheiro. Picnogenol é uma combinação de cerca de 40 compostos extraídos da casca do pinheiro marítimo francês.
  • Dosagens: Dose de 60 e 150 mg/dia.
  • Venda sem prescrição médica.

Outros Adaptógenos

  • Eleutherococcus
  • Cordyceps
  • Rhodiola
  • Visco europeu
  • Hydrastis
  • Echinacea (venda sob prescrição médica)
  • Pfaffia paniculata.

Resumo retirado do livro Fitoterapia Racional dos autores alemães Shulz HanselTyler – um compêndio da fitoterapia estudada cientificamente na Alemanha e nos países de língua Inglesa.

Deixe um comentário